Dom Pedro II

Proposta Pedagógica

A proposta pedagógica da Escola D. Pedro II visa contribuir para a formação de cidadãos responsáveis, éticos, solidários, que respeitem as diferenças individuais, que valorizam a relação com Deus, com o próximo, consigo mesmo, com o meio ambiente, que cultive valores e atem de forma consciente numa sociedade em constante mudança.
Para tanto, o ensino da escola fundamenta-se na construção e desenvolvimento do ser humano em seus aspectos sócio-afetivos, cognitivos, físicos e espirituais, na formação de valores como: igualdade, liberdade de aprender, amor e respeito a Deus e ao próximo, buscando-se resgatar o exercício da fé, da justiça e da cidadania.

Dessa forma, a prática pedagógica adotada pela escola, está alicerçada em dois grandes pilares, distintos e ao mesmo tempo confluentes: Princípios bíblicos de educação e princípios interacionista de desenvolvimento e aprendizagem.
O primeiro princípio consiste em uma fundamentação bíblica, como base para a formação de caráter (moral e espiritual); na autoridade divina e na criação do homem como sua imagem e semelhança, com o objetivo de engrandecê-lo e exercitar uma liderança servidora.

Esses princípios favorecem uma visão da criança e do jovem como ser integral, que precisa desenvolver-se em todas as suas dimensões (física, intelectual, moral e espiritual).

O segundo princípio em consonância com os princípios bíblicos, que compõem o primeiro pilar, a Escola tem como abordagem teórica, fundamentos filosóficos, sociológicos, psicológicos e pedagógicos que não concebem o homem como autônomo em seu fazer histórico. Os princípios de interação e mediação sustentam a ideia da relação entre os sujeitos na construção do conhecimento. Essa construção, porém, não é aleatória, pois ninguém constrói conhecimento do nada. Assim, entende-se que para construir novos conhecimentos há sempre, na sua estrutura cognitiva, os conhecimentos prévios que favorecerão um novo aprendizado.

Há dois conceitos importantes a considerar: o desenvolvimento e a aprendizagem.
O desenvolvimento é resultado dessa combinação, da interação do sujeito que aprende com o objeto de conhecimento e com o outro. Segundo Piaget, essa interação se dá por meio de dois processos simultâneos: organização interna e adaptação ao meio, definida como o próprio desenvolvimento da inteligência. Vigotsky afirma que “a inteligência humana somente se desenvolve no indivíduo em função das interações sociais”. A aprendizagem está, pois, consolidada sobre o plano das interações.
Considerando essas teorias, a escola compreende que o aluno desenvolve seu conhecimento através da interação permanente com seu meio, sob a orientação do professor, que atua como facilitador do processo de ensino e aprendizagem.